Capítulo 212 - NA SEGURANÇA MÁXIMA
No capítulo anterior: 
(SeuNome), Math, Ruby, Cody, Jake, Josh, Alli, Sophie, Cambo e Joel ficaram na biblioteca e só treta treta treta. A diretora resolveu revistar alguns alunos que estavam com droga na escola e só (SeuNome) não foi pega. Todos ficaram sem reação. 
  Mike foi pra casa dos (SeuSobrenome) e ficou lá. A namorada teve que sair então ele e os amigos dela ficaram conversando. No começo? Foi estranho mas depois foi fluindo melhor.


- Jake sempre ligou pra você. E você quer que o Math ligue pra você do jeito que você quer. -disse Ruby.

- MAIS?! Por onde Alli passa o Math lambe o chão pra ela! -eu disse.

- CODY TAMBÉM PRA VOCÊ E O MIKE NÃO FAZ NADA E VOCÊ FICA COM ELE! -Alli revidou. 

- É DIFERENTE! EU TENHO CERTEZA QUE MATH NUNCA...nunca...ESQUECE!

- FALA, (SEUNOME), FALA! -Alli gritou. Eu olhei pro Cody e ele me olhava "conta" ao invés de "conta pra você ver".





{...} - O que ele fez de tão ruim pra você? -Ruby perguntou, na hora Mike entrou. Ele abriu a boca.

- Não diz! -quase. Quase gritei. Só quase- E não pensa também!

- Que saco, (SeuNome)! -disse Ruby.

  A mesma história, mesmo clima, as mesmas pessoas, a mesma polêmica, o mesmo desespero e um Bentler diferente. Levantei rapidamente e fui até ele.

- Por favor, vamos embora daqui.

- Por que? -ele perguntou.

  Passou na minha frente em letra preta e grande um enorme "FUDEU".

- Porque sim.

- Não vou falar nada. -ele disse baixinho- Falou, vocês.

  Alguns falaram "tchau" e etc. Saímos, entramos no carro e eu fiquei meia...

- O que aconteceu? -ele perguntou e eu não respondi. Respirou fundo e acelerou. Ele ligou o rádio e tocava Kanye West. Desliguei ainda de cabeça baixa. Ele pisou no freio com tudo.

- Qual seu problema?! -perguntei.

- O farol fechou. -ele disse sério. Me deu medo. Encostou a cabeça no banco, respirou fundo mais uma vez e murmurou algumas coisas que não entendi.

- Abriu. -falei normal e ele voltou a andar. Virei a cabeça e fiquei olhando a paisagem. Paisagem? Onde eu tô?!- Mike, onde a gente...?

- Cala a boca. -ele sussurrou com raiva.

- Eu fiz uma pergunta, cavalo!

- Eu vou acabar com você.

- O QUE?! -entrei em desespero, completo desespero. Queria abrir a porta e sair, onde foi que me meti?

- Relaxa. -ele riu- Peguei outro caminho pra te assustar, você mereceu. Eu fico quieto quando tô do seu lado. Não vai embora nunca, tá?

- Eu te odeio tanto. Tanto. -fechei os olhos- Tanto, tanto, tanto.

  Ele parou o carro, desci e fui andando até a porta.

- Não odeia. -ele me abraçou por trás.

- Odeio sim! Não põe a pata em mim! -abri a porta e entramos.

  Porta da sala, porta do quarto.

- Me beija. -ele pediu, estávamos de frente um pro outro. Primeiro que eu não conseguia beijá-lo em pé e depois que eu não queria mesmo. Eu estava com raiva.

- Sai. -tentei o manter longe.

- Olha o teu tamanho, cara! Te orienta, eu quem mando.

- Sai, Mike!

  Ele me puxou e me pegou no colo, acabamos nos beijando. Abracei sua cintura com as pernas forte pois ele não me segurava, estava com as mãos em meus cabelos, puxando de um jeito bom e as minhas passavam pela sua barba e cabelo. Mesmo com os corpos colados ele conseguiu desabotoar meu shorts. "Desci" e ele caiu. Tirei sua bermuda e depois fomos às camisetas.

- Eu não digo muito isso mas... -Mike disse chegando perto da minha orelha com a boca, me guiando até a cama com as mãos em minha cintura- eu te amo.

  Simplesmente não acreditei quando ele disse isso. E o pior é que ele tirou o resto da minha roupa de uma forma carinhosa e devagar. Ele estava diferente, ia dizer que já estava aos gritos mas não. Mike apertava e puxava minha cintura. 

(...) Depois de tudo ficamos deitados.

- Em uma hora dessas eu precisaria fumar mas você não deixa.

- Não tô falando nada.

- Não mas ao seu lado não me dá vontade.

- Não? 

- Só as vezes. -ele riu.

- Seus dentes são perfeitos, você fuma faz mas de dez anos!

- Por que você fica reparando nessas coisas?

- Porque sim, ué. 

- Ah.

  Ficamos um bom tempo em silêncio. Estávamos virados um pro outro.

- Você promete que...não vai me deixar também? 

  Ele ficou quieto, me olhando como se fosse normal.

- Ah, meu Deus... -sussurrei e puxei a coberta, curvando a cabeça. 

- Eu não posso prometer isso. -ele me abraçou com um braço.

- Então para. -o afastei. 

- (SeuApelido), por que você tá fazendo isso?

- Mike, para! 

- O QUE?! (SeuNome), para, vai.

- O que você pretende fazer?

- Não ia dar pra ficar com você pra sempre. Eu realmente gosto de você mas...se eu tivesse outra vida até dava.

- Não teria graça. 

- Pode ser. Mas...

- O que?

  Um celular vibrou entre a gente. Era o dele, acendeu. "Lucas B".

- O QUE PERGUNTO EU!!!! -gritei.

- Não é o Lucas que você tá pensando. 

- TEM UM "B" DE QUE?!

Ele disse "Brother". Brother de parceiro.

- Mentira! Deixa eu ver então. 

- Vai embora. -ele disse mais sério. 

- O que? 

- Você ouviu e já sabe onde ficam as portas. 

  Eu não tava acreditando.

- Eu tô falando sério. -ele disse.

  Eu não ia sair chorando ou algo assim. Levantei uma sobrancelha e o olhei com um olhar de superioridade e disse mais séria ainda:

- Você me paga.

  Peguei tudo e fui embora. Ainda desejei feliz aniversário. A raiva estava tomando conta de mim, a tristeza poderia vir mas agora não. Cheguei em casa e apenas Math estava acordado vendo TV. 

~POV Mike~

- A vida é uma merda! -coloquei as mãos na nuca e continuei deitado. Peguei o celular e respondi a mensagem, era meu irmão falando que me odiava. "Lucas, fica esperto e eu não tô brincando, sua vida só vai piorar" "O que aconteceu?" "NÃO É DA SUA CONTA!"

~POV Lucas~

  Eu tô pirando aqui dentro. Parece pra sempre e eu sou um dos únicos que não pode sair porque nem em casa meus pais querem e eu não tenho ninguém aqui. Comecei a odiar frio quando voltei. Por que Londres? Por que com meus pais? O pior é que aqui faço de tudo pra ser expulso mas não rola! Os profissionais estão acostumados com gente pior do que eu. Meu irmão é o pior cara que conheço, bandido, traficante, mas vou dar uma de terrorista, tudo pra sair daqui! Sentir o frio e não ter a (SeuApelido) é a pior sensação do mundo. 

~Seu POV~

  Tentei não bater a porta e nem nada disso.

- Oi. -ele disse sem me olhar.

- Oi, meu amor, tudo bem?

  Ele virou de uma forma tão engraçada. 

- O que...aconteceu? 

- Nada. Vou dormir. 

  Subi e já tinha tudo pensado. Tomei banho e deitei no travesseiro, até sorri.

~POV Alli~

  Vi Tanner com outra menina depois que saí da casa dos (SeuSobrenome). Foi horrível, era só ficada mas...
  Estava na cama sentada, abraçando as pernas e olhando para os lençóis que eram iluminados pela pouca luz que entrava pela janela.

~POV Cody~

  Ainda me incomoda o fato de agora ela estar com ele. Estava ouvindo "Surfboard" nos fones de ouvido. Sim, minha própria música lembrando dela. Eu não sei o que me dá. Eu amo ela, na moral mas...As vezes parece que não sou eu batendo nela. Sinto falta, apenas.

~POV Ruby~

  Adolescentes solitários têm pensamentos suicidas. Confirmei isso faz 2 horas.

~POV Josh~

  É horrível, primeira vez no mês que tô sóbrio. Que vazio é esse?

~POV Joel~

  Tudo que eu faço, tudo, tudo eu lembro de Sophie, a risada dela e o jeito dela engraçado de tirar foto. Não apaguei nenhuma de nós dois. Isso tudo vai dar errado, vai. Drogas, álcool, tatuagens. Chego a pensar que jamais deveríamos conhecer a família bilionária que mora no final da rua.

~POV Soph~

  Estou aqui da forma mais ridícula. Abraçando meu urso de pelúcia grande e marrom que Joel me deu. Pensei em queimar mas fiquei com dó. Por que? Por que tudo não faz sentido?

~POV Math~

  Preferi nem perguntar. Desliguei a TV e me cobri. Dormi ali mesmo no sofá. Acordei pouco tempo depois e vi Alli. Me assustei mas vi que era um sonho na realidade. Não sei. Voltei a dormir com o coração acelerado.

~POV Jake~

  Daria tudo pra poder dormir alguma vez de novo na vida. Fiquei a noite toda jogando videogame. Uma certeza que tenho é que Alli não volta. Não sei porquê.

~POV Cambo~

  Todos os dias. Todas as noites. Não tem uma em que não derrame nem que seja uma lágrima por Nicole e outra por raiva de Cody. Eu não tenho vontade de morrer. A esperança tá fraca mas...vou achar outra pessoa.

~Seu POV~

 No outro dia acordei em plena 3 horas da tarde. Me vesti e tudo mais.

  Desci empolgada e dei de cara com todos tristes e cara de deprimidos.

- Credo. Que foi? -sentei no sofá entre Cambo e Jake. 

- Tanner e eu não temos mais nada. -disse Alli. 

- Também tô solta na pista. -disse só pra conseguir fazer ela rir. E consegui. 

- ESPERA, O QUE?!?! -Cody e Math gritaram e não estavam mais com cara triste.

  Ignoramos e rimos. Não fomos só nós duas que rimos. 

- Então, Mike terminou comigo, Lucas tá vivo e deixa eu ver...vou inventar uma história ou sei lá na delegacia agora. -eu disse.

- Você vai o que? -perguntou Joel.

- Eu não vou perder a cara dele de ser preso no próprio aniversário. 

- Que maldade. -disse Alli. 

- MALDADE?! -Cody e e eu perguntamos juntos.

- É, ele merece. Não sei. 

- Então, alguém vem comigo? Cody não. -eu disse.

- Eu. -disse Cambo. 

  Ele me acompanhou e só. Cheguei lá e fiz tudo até ir ter que falar com o delegado e contar. Comecei a fazer um drama. 

- Por que Mike Bentler tá andando por aí de boa? -perguntei. 

- O que? Você não é namorada dele?

- Era. Como o senhor sabe?

  Ele jogou uma revista na minha frente.

- Que seja. Por que ele tá por aí? 

- Você mesma pagou a fiança uma vez. E ele não podia fazer mais nada errado senão era preso.

- É mesmo? Vender drogas pode?

- NÃO! Óbvio que não! 

- Então eu acho que vocês deveriam ir até a casa dele. 

- Por que você tá dizendo isso?

- Porque eu sei tudo o que ele faz. 

  Ele logo gritou e mandou uns homens irem. Ele ia ir mas antes falei.

- Eu tenho medo dele...posso ficar aqui? Me deixem ver ele depois, por favor.

- Você deve. -ele disse e eu voltei para ver Cambo. Falei o que tinha feito e depois de meia hora voltei pra sala do delegado. Fiquei sentada. Depois de mais meia hora eles apareceram com Mike preso e vários policiais o segurando.

- Eu não... -ele foi falar.

- Eu disse que você me pagava.

- Eu não imaginava que você era capaz de fazer disso. Você é pior do que eu.

- Tenta. -cheguei mais perto- Só tenta me atingir. Mais uma vez, feliz aniversário. -sorri e sai. 

  Tinha que ficar esperando mais um tempo. Sentei ao lado de Cambo.

- Wow. Você conseguiu. 

- Pois é. Então, vai na festa da menina da sala hoje?

- É hoje?!

- É. -eu ri.

- Acho que sim e você? 

- Também. 

   Esperamos um tempo e descobri que Mike foi condenado a 147 anos de prisão. Ele vai morrer na cadeia, ninguém duvida. Ficou em uma sela de segurança máxima e isolado dos outros presos. Dois policiais iriam ficar vigiando de dia e noite. Ao saber disso eu pensei "como pude?" porque se ele tá num lugar desse, é porque era realmente perigoso e eu não imaginava que era tanto assim. Cambo segurou minha mão e me abraçou. Voltamos pra casa. Eu fiquei meio mal mas espero que passe.

- Então? -Cody perguntou quando chegamos.

  Lembrei que...

- Ah, meu Deus! Eu não uso drogas faz um dia! -coloquei a mão na frente da boca. 

- Eu também. -todos disseram.

- Então...vão na festa hoje? -Cambo perguntou. 

- Sim! -todos disseram mas todos precisávamos de fantasia.

  O que fizemos? Fomos comprar. A zoeira? Tá só começando! 

 FIIIIIIIIIM. BRINCADEIRA! JÁ PENSOU? MAS SÉRIO, VOCÊ PERCEBE QUE TÁ ACABANDO QUANDO MIKE VAI PRESO E OS SEGREDOS COMEÇAM A APARECER. CONTINUAAAAAAA? É BOM COMENTAREM PORQUE NO DIA DO MEU ANIVERSÁRIO TÔ AQUI POSTANDO! AMO VOCÊS <3
Friday, 18 April 2014 @ postado Friday, April 18, 2014