Capítulo 244 - O QUE É PROMESSA?

{...} - SAMANTHA! -Jeremy gritou.

Acho que era ele que não podia ver os dois ali se pegando. A partir desse momento eu minha raiva pelo Math cresceu mais ainda. Ela saiu de cima dele e começou a falar:

- Ai, descul... -Sam começou mas reparar que era a voz de Jeremy continuou- Não, eu não devo desculpas pra você. Vai lá com o seu namorado enquanto eu sou zoada por meu ex ter virado gay!

- Eu não sou gay.

- Ah, MA-GI-NA. -disse Math- A gente vai pro meu quarto que tem mais espaço. -ele disse levando Sam pela mão e foram.

- Max me traiu, eu ainda gosto dela e...acho que vou achar uma menina, os homens traem mais. -disse Jeremy.

- Tá tudo bem? -perguntei.

- Tá. Eu tava saindo.

- Pra onde? -perguntei.

- Com uns amigos.

- Amigos?

- E umas amigas.

- Olha...

- Você já teve a minha idade.

- Tive, e você nem imagina o que eu comecei a fazer nessa época.

- Eu sou menino, já fiz muito antes. -ele riu junto com Cody- Mas eu não quis dizer sobre...eu volto amanhã.

- Amanhã?!

Ele fez um toque com Cody que ainda ria e saiu.

- Eu odeio meninos. -falei.

- Que pena. -disse Cody.

Fomos para o meu quarto e deitamos na cama.

- Sabia que tem muita coisa pra amanhã? -ele perguntou.

- Que coisas?

- Entrega de trabalho, lições de casa e aqueles resumos desnecessários.

- Eu odeio meninos. -falei.

- Que pena. -disse Cody.

Fomos para o meu quarto e deitamos na cama.

- Sabia que tem muita coisa pra amanhã? -ele perguntou.

- Que coisas?

- Entrega de trabalho, lições de casa e aqueles resumos desnecessários.

- Mentira.

- Sério e amanhã ainda tem biologia, história, laboratório, lit...se você quiser, não precisa ir amanhã.

- Eu tenho certeza que se eu não for, ele vai me reprovar na matéria dele.

- Você pode não querer falar nisso, mas eu não vou deixar esse cara ficar por aí.

- Como assim?

- Ele tem que ser preso.

- Não, amor, deixa quieto.

- Então posso dar umas porradas nele? Posso!

- Não!

- ...

- Eu tô falando sério.

- Tá.

- Não me ignora! Você não vai fazer isso, ninguém pode saber!

Ele me abraçou e meu rosto enterrou-se em seu peito.

- Você continua me ignorando.

- Continuo te protegendo, é diferente.

- Eu não quero que você faça isso, ele vai fazer de novo.

- AH, VAI! EU CORTO O...

- CODY!

- NÃO, EU TÔ FALANDO SÉRIO!

- EU TAMBÉM, É QUE...

- ESQUECE, NADA QUE VOCÊ FALAR VAI ME FAZER MUDAR DE IDEIA.

- TUDO BEM MAS...

- E EU DOU UM JEITO DE...

- CODY, EU TÔ SEM AR!!!

- Ops, desculpa. -disse no momento em que me soltou.

- Vamos fazer as lições. -levantei.

- Ah, não...antes a gente podia...

- Não, senão depois a gente vai dormir e vai acabar não fazendo nada e você sabe.

- Só pra dar uma animada. Por favor.

- Uma animada? -ri do termo.

- É. -ele cruzou os braços ainda deitado na cama.

- Não sei se eu devo... -aproximei-me dele.

- Deve sim.

- Não devo nada! LEVANTA, MENINO!

- E depois de estudar?

- Vou pensar se quero. -eu disse sentando na cadeira giratória.

- Não importa se você quer, eu quero.

- Não fala assim comigo.

- Desculpa. -ele riu.

- E a gente só tem 16 anos!

- Você tem 16.

- Você tem 17, grande coisa.

- Estamos na idade já. Já há muito tempo.

- Eu não sei, às vezes acho que não.

- Importa o que eu acho.

- Ah, fala com a minha mão. -levantei a mão pra ele- Não mereço suas grosserias.

(...) Terminamos tudo em 2 horas. Não conversamos e não ficamos de gracinha.

- Pronto. -ele fechou a apostila por último- Agora a gente pode...

- Tô muito à fim de ir na praia.

- Ah, não. Tá zoando.

- Séríssimo. Vamos chamar todo mundo?

- Não quero. -ele disse seco.

- Vai ficar bravo? -comecei a zoar.

- Vou.

- Então eu vou sozinha.

- Vai.

- Tomara que estejam cheios de meninos lá.

Ele levantou o polegar e enfiou na minha cara.

- AH, CODY, ME BEIJA! QUE SACO DE MENINO CHATO! -eu disse indo em direção da porta. Ele segurou meu braço e me fez virar me lascando logo um beijo.

- Chega. -disse ao parar.

- Beija direito.

- Eu não quero.

- Por que você tá chata?

- Eu sou chata. Não quero e pronto.

- Por que?

- Porque não!

- Então eu vou embora.

- Vai!

~POV Cody~

Sai e bati a porta. Ai, que raiva dessa menina. Dá vontade de sair por aí beijando qualquer uma. Não entendo as meninas e perdi a paciência também, não quero mais entender.
Voltei pra casa, Josh me chamou pra andar de long e eu fui. Fiz questão de deixar o celular em casa (coisa rara).

- E a Ruby? -perguntei.

- Que Ruby? -ele disse olhando no celular.

- Sai desse celular, quem sabe você raciocina.

- Ah tá. -ele guardou no bolso- E o seu? Deve ter quebrado pra não estar mexendo.

- Nem me lembre o motivo.

- Ah, então, ela nem fala comigo direito.

- Que frescura.

- Minha também, quando eu tava com ela, eu não podia fazer nada!

- E esse nada é o que?

- Eu saía sem ela, ficava bêbado e nem sabia o que tinha feito, aí ela já pensava que eu saí catando todo mundo.

- Desculpa, cara...mas ela tá certa.

- De qualquer jeito, agora faço o que eu quiser.

- Vai nessa de fazer o que quiser, depois acaba perdendo as férias.

- Sua namorada é problemática, por isso que ela foi pra reabilitação.

- Nem me fale em problemática, ela é, e muito!

- O que aconteceu?

~Seu POV~

Desci e fiquei deitada no sofá da sala mexendo no celular. Ruby me mandou uma mensagem enquanto eu estava xeretando o insta do Justin, o Bieber, não sei por quê.
Ruby mandou outra mensagem seguida de outra e de outra.
"QUE É?" mandei. "Tô carente" "Ô, dó. Dorme" "Não quero dormir!!! Quero pegar alguém" "Hmmmmm, quem?" "Ninguém, otária! Só tô falando" "Pode repetir?" "Não" "Pega o Jake, acho que você nunca ficou com ele" "AI VOCÊ NÃO SABE ELE TÁ NAMORANDO FAZ 1 MÊS E NÃO CONTOU NADA" "MUITA CALMA PRA ESCREVER, QUERIDA" "HAHAHAHAHAHHA" "COM QUEM, RUBY? COMO VOCÊ DESCOBRIU?" "ELE CONTOU, UMA MENINA QUE NUNCA VI NA VIDA" "Manjei, mas então, fica com alguém em alguma festa, sei lá"  "Você não ajuda em nada mesmo" "Ajudarei, desculpa. É que eu fui grossa com o Cody, amanhã tem aula com aquele monstro e o Math pegou a Sam na frente do Jeremy!" "Ops...desculpa, eu não sabia. O MATH O QUE? ELE NÃO TAVA NAMORANDO COM A ALLI?" "TAVA???????????" "Não sei, eles estavam quase namorando, eu acho" "Então estão competindo pra ver quem fica com o chifre maior?" "Ai, amiga, não fala assim dela" "A Alli já pegou todo mundo, vamos combinar" "E você não?!" "Vai com calma, ela já pegou todo mundo que a gente conhece, mais as festas e outros lugares" "Você namora com o Cody, pegou o Jake quando ele namorava com a Alli" "Ela tinha traído ele também aí ele veio e uma vez a culpa foi dele" "Ela lê te seduziu? Hahahaha" "Sim, hahaha, que raiva, ele começou a falar umas coisas" "Enfim, o Cambo, o Josh..." "O Cambo eu nem lembro porque e com o Josh, a gente tava bêbado" "Como sempre o Josh tá assim" "É, não gosto nem de falar disso, no dia em que vocês não acreditaram em mim, eu vi o Mike e perdi a linha" "Menina, perdeu a linha como?" "Não, eu não fiquei com ele" "Isso é o de menos, ele é traficante e você quer que eu pense o que?" "Não foi nada, matei a vontade" "Vontade de?" "Deixa pra lá" "Deixa nada, eu não conto" "Cocaína, e ele ERA, não é mais" "Você não pode continuar vendo ele" "Eu sei, agora que ele anda fugindo" "Se te pegam você tá ó" "Vamos falar de coisas legais" "Legais nada, se você ficar fora por 3 meses de novo, eu vou junto só pra te bater todos os dias" "Não joga praga assim não" "Aham, tô de olho" "Tá. Olha essa foto, vê se tá boa pra postar" "Se eu fosse o Cody cuidava bem dessa gata" "Só mio pra ele" "Não li isso" "Foi péssima, né? HAHAHAHAHAHA" "Precisa responder?" "Não hahaha" "Eu tô com sono e 1% de bateria" "Tchau" "Ainda bem que você entende, a Alli manda eu carregar e ficar falando mais 3 horas com ela" "Hahahaha, beijo" "Beijo".

Entrei na galeria e selecionei todas as fotos com Math e apaguei.

- POR QUE VOCÊ FEZ ISSO?

- Oxe, de onde você veio? Vai lá com a Sam.

- Ela foi embora.

- Quando?

- Acabou de sair, você não viu?

Realmente não tinha visto. Não respondi.

- Para de ser chata, fala comigo. Por que você apagou todas nossas fotos?

Editei aquela que havia mandado para a Ruby e postei. Bloqueei o celular, o pousei em meu peito e fechei os olhos. Ele sentou no chão da sala e ficou olhando pra mim deitada no sofá.

- Eu vou continuar aqui. Por favor, me desculpa. -meu irmão continuava- Desculpa, se você quiser eu dou uma porrada naquele homem. (SeuApelido), desculpa por antes não ter falado mas eu tô com você e eu me preocupo.

- E como você demonstra se preocupar? Sai transando com a ex do seu próprio irmão! Você não tem noção do quanto ele ficou triste. E quando a Alli saber?

- Que? Alli? Não, não, não, ela não pode...

- Você fica tão fraco só de tocar no nome, mas quando esquece dela é uma beleza, né?!

- Eu não consigo ser fiel, você não entende.

- Isso é falta de vergonha na cara. Falta de ser macho de verdade.

- Ou, aí não.

- Você sabe que o Cody vai te esmurrar depois.

- Vai nada.

- Tá, tá, some da minha frente.

- Tô do seu lado.

- Você é tão chato que me dá nojo.

- Realmente, me sinto ofendido.

- Tinha que sentir mesmo! Vai arrumar o que fazer.

- Vou pegar outra. -ele disse levantando.

- Não acredito. -fiquei chocada.

- Tava zoando. Credo, calma.

(...) No outro dia acordei e olhei as notificações e tudo mais. Naquela simples foto que eu havia postado tinha MUITOS comentários dizendo "illuminati". Eu já ouvi isso em algum lugar mas nunca soube o que era. Deixei quieto por um momento e fui tomar banho.

Na escola ouvi a mesma coisa e Blair tirou uma com a minha cara. Cheguei perto do povo.

- Gente, o que é illuminati? -perguntei.

- Agora tá falando com a gente? -perguntou Cambo.

- Eu só não tô falando com o Matthew.

- É pessoa do demônio. -disse Alli.

- Que?! -perguntei.


- É por causa daquela foto que você postou? -perguntou Cody.

- É. -respondi- Mas eu não entendi, não tô entendendo nada!

- Em gente famosa, é tipo...tipo fazer pacto com o demônio ora conseguir fama, sabe? -disse Joel- Aí você postou a foto mostrando um olho só e acho que por isso tão falando.

- Mas o meu cabelo ficou na frente sem querer, eu tô sorrindo, mó de boa. E eu sei lá o que é isso de pacto, tenho só 16 anos.

- Então, esse negócio do "um olho" é só um dos simbolismos. -disse Cambo.

- Que mais tem? -perguntei- Bom saber pra não fazer sem querer e o povo ficar me falando merda. 

- Tem a da pirâmide, da borboleta monarca, quem tem alter ego, quem faz aquele negócio com a mão que fala que é a mão chifrada, essas coisas. -disse Alli.

- Que povo ridículo. -eu disse.

- Tem fãs lá. -disse Cody. 

- Desculpa mas...RI-DÍ-CU-LOS! 
A aula começou e eu devo ter dormido até a professora começar a dar bronca no meu irmão. Quis ver a treta.

- Não sabia que se desenhava na aula de história.

- Não sabia? Agora sabe. -respondeu Math continuando a desenhar.

- Dois dragões, um de frente pro outro cuspindo fogo? Math, quantos anos você tem? -perguntou a professora.

- Se eu fosse você nem se metia, professora. Ele deve estar com a mente perturbada, deve ser fogo do inferno. -disse Tyler.

- Não acredito. -sussurrei.

- Calar a boca é legal, sabia, Tyler? -disse Cody. 

- Que? -a professora perguntou.

- Nada! -acho que falei um pouco alto demais.

- Olha, já tá até revoltada só de falar disso. Acho que se fosse você saía daí do meio desse grupinho. -disse um menino da sala.

- A vida serve pra cada um cuidar da sua. -respondeu Ruby.

- Agora vocês vão me explicar isso. -disse a professora.

- Não tem nada pra explicar! Eu postei uma foto e ficou aparecendo um olho só porque o cabelo ficou na frente, aí vieram falar que eu fiz pacto e sou desses negócio de illuminati que nem sei falar direito!

- Que horror. -disse a professora.

- É, e o outro ali já tá falando que todo mundo aqui fez. -disse Cambo.

- Mas fizeram?

- Não! -respondemos todos juntos. 

- Então pronto. 

- Pronto mesmo, senão a gente vai ficar olhando pra vocês assim. -disse Joel tampando um olho com a mão e Josh fez a mesma coisa, os dois começaram a rir.

- Viu? Se eles fossem mesmo isso que vocês estão falando não brincariam desse jeito. -disse a professora. 

Os trouxas calaram a boca e a aula correu normalmente.

Já na última aula eu sentei bem no fundão ao lado de Cody. Josh estava na minha frente, Alli do outro lado, Jake, Joel, Ruby e Cambo nas diagonais. Quando Jason entrou na sala Cody me olhou e disse "calma". Evitei olhar para o monstro ao máximo. 

- Vocês não estão com calor? -ele perguntou. 

- O ar tá ligado. -disse uma menina. 

- Me dá agonia ver vocês de blusa, quem tá pode tirar.

Alguns riram e tiraram. Ouvi ele andando em silêncio e senti sua mão em minhas costas.

- E você?

Eu nem tinha reparado que estava com blusa de frio.

- Não, eu tô bem.

- Eu também só quero o bem dos meus alunos.

- Que bom, falsidade é tudo na vida. -depois da vírgula, falei baixinho.

- Por que você não tira a mão dela? -Cody perguntou e eu pensei "cala a boca".

- Que? -perguntou Jason. 

- É que eu não gosto.

- Ai, que frescura. -comentou Blair.

- E quem você é mesmo? -perguntou Jason. 

- O namorado dela e eu já tô perdendo a paciência. 

- Vai mesmo perder a paciência com seu professor? 

- Se eu fosse você também tirava porque o irmão dela é ciumento igual ao namorado.

Eu não ia ouvir o bate boca inteiro porque sei que os meninos são doidos e poderia virar bate cara.

- É que eu tô com uma  blusa por baixo que não é do uniforme e ela é meio decotada, eu me vesti rápido então prefiro ficar de blusa. -eu disse.

- Aposto que ninguém iria se incomodar. -disse Jason e e eu arregalei os olhos sem ainda olhar para seu rosto.

- Eu me incomodaria. -disseram Math e Cody juntos.

- Vamos voltar à aula. Sétima aula do dia, todos estão cansados e revoltados -olhou para todos nós aqui- mas vamos lá.

Ele começou a dar a aula e a andar pela sala. Em um momento Josh me jogou uma borracha na perna e eu segurei o grito.

- Ai! -sussurrei- Que foi?

- Foi mal, foi um pouco forte demais. -ele sussurrou de volta.

- Toma cuidado, nossa, tá doendo!

- Ele tá daquele lado da sala porque tá olhando pras suas pernas.

Olhei disfarçadamente e era mesmo. Olhava no livro e desviava o olhar. Como todos estavam prestando atenção -exceto Josh porque foi ele quem reparou- ninguém viu e também Jason falava e falava...
Novamente eu quis chorar, lembrei quando ele passou ferozmente as mãos em minhas coxas. Olhei no relógio e faltavam ainda 20 minutos de tortura. Eu não aguento nem respirar o mesmo ar que ele, me dá nojo, desespero.

Quando terminou, sai rápido da sala e abracei Cody.

- Quem ele pensa que é pra por a mão em você daquele jeito? -disse Jake- Deu vontade de...nossa, se não fosse na escola.

- Aposto que somos dois. E é raro eu concordar com você. -disse Math.

- Três. -disse Cody.

- Pode ter certeza que é quatro. -disse Alli e eu ri um pouco.

- Cinco. -disse Joel.

- Seis. -Ruby riu.

- Sete. -disse Cambo.

- Que tal fechar com oito? -disse Josh estralando os dedos.

- Eu vou pra casa, obrigada, gente mas não contem pra ninguém, eu ia ser zoada pra sempre e as coisas já não andam tão boas assim. -eu disse.

- Eu volto com você, amor. -disse Cody e voltamos no carro dele. Entrei no meu quarto, deitei na cama, ele apagou a luz, fechou as cortinas e deitou ao meu lado.
Fiquei quieta, quieta de estranhar.

- Fica calma, vai dar tudo certo.

- É bom ter uma pessoa pra falar isso mas eu não acredito. -respondi.

- Você só não pode ficar mal.

- Não tenho o direito?

- Você que começa. Eu falo numa boa e você vem com cem pedras na mão, quando eu for grosso não reclama.

- Calma. -eu disse e fiz uma pausa, iria pedir desculpas mas ele interrompeu:

- Só tava falando pra quando alguma coisa der errado você não ir lá e procurar o Mike. Ele não presta aí você vai lá e mesmo assim procura ele.

- Eu não tinha ninguém!

- E da primeira vez?! Quando ele te beijou.

- Como você sabe que ele me beijou? Como você sabe que...? -fiquei sentada na cama.

- S-sabendo!

- Você gaguejou!

- Legal, e daí?

- Como. Você. Sabe?

- O Joel me contou.

- Se o Joel soubesse, você teria me impedido de ir.

- Quer dizer, a Ruby!

- Não sabe nem mentir. -eu disse e ele também ficou sentado.

- E daí?! Eu engoli que ele te beijou.

- Eu fiquei mal! Cody, eu não quero você me seguindo. Foi ele quem me obrigou a beijá-lo então eu posso pedir isso: você tem que confiar em mim! Eu já disse que assim não tá dando!

- E nem vai dar!! Ele te beijou!

- A gente já concordou que em um relacionamento, depois do amor, vem a confiança.

Ele levantou e disse:

- Esse primeiro aí já acabou faz tempo e também concordamos nisso, aliás, se é que um dia já existiu.

- Que? Eu já amei você.

- Eu não.

- Como? -meus olhos se encheram de lágrimas de repente.

- No primeiro momento eu só fiquei com você pra ver se brasileira era tudo o que falavam mesmo. Aí você começou a me fazer bem, não emocionalmente, sabe? -a cada palavra escorria uma lágrima. Ele dizia as letras com frieza olhando para mim, parecia sincero.

- Não fala isso.

- Só cansei de esconder a verdade e não começa a chorar, não. -ele passou as mãos nos cabelos loiros.

- OLHA O QUE VOCÊ ME FALA! E ME PEDE PRA NÃO CHORAR? VOCÊ TÁ FALANDO QUE NUNCA ME AMOU E QUE...

- Não mesmo. A vida é assim mesmo, aceita.

- Por acaso esse não é o segredo que todo mundo sabia menos eu, né?

- Não, relaxa, não precisa ficar brava com eles. E para de chorar.

Levantei e tentei dizer:

- Eu não vou parar de chorar e se quiser me bater de novo, vai em frente porque vai ser a última vez que vou te dar esse gostinho.

Ele me deu um tapa na cara na maior covardia.

- Eu não quero te ver nunca mais. -ele disse.

- Ótimo. -fiz uma pausa- Você fala que eu sou a problemática mas o problema está inteiramente em você.

- Nossa, não fala assim que me parte o coração. Vou até chorar, já que você parou.

- Talvez eu tenha parado porque o seu tapa não doeu.

Fui um gênio em falar isso. Não preciso nem falar o que aconteceu. Até porque eu não consigo. Estou à 10 minutos aqui chorando. Às vezes eu tenho vontade de voltar à vida de antes, porque pelo menos Cody se importava, ou fingia muito bem que se importava comigo.
Levantei, lavei o rosto, coloquei uma blusa de frio preta com touca. Desci e Math estava no sofá de olhos fechados.

- São quase dez horas, aonde você vai?

- Se o Cody perguntar...

Espera, a quem eu quero enganar?

- Não, ele não vai perguntar, eu vou ir pra algum lugar onde eu esqueça ele.

- O que aconteceu? Vocês brigaram?

- A gente terminou!

- Logo logo vocês voltam de novo.

- Só em sonho. -sai e fechei a porta.

Peguei o carro e sai dirigindo, parei em um farol.

- Que demora. -deitei a cabeça no volante e vi um carro ao lado do meu. Fiz de tudo pro cara me ver mas ele não olhou. Buzinei e ele virou, abri o vidro e ele abriu o dele- O que você tá fazendo dirigindo numa boa por aí?!

Mike riu.

- Encosta ali na estrada. -ele disse.

O farol abriu e continuei dirigindo até uma estrada que era meio deserta, ele parou e eu fiz o mesmo.

- Qual o seu problema? -perguntei.

- Não, não, não. O mais importante é: o que aconteceu com você?

- Eu tava chorando.

- Não, o seu olho não está inchado de chorar.

- Ai, tá, eu não vou mentir, você não é idiota. Cody e...eu, a gente brigou, terminou, ele me disse coisas horríveis e ainda...

- Eu vou matar esse moleque.

- Não vai nada. Deixa pra lá, a gente já terminou.

- Deixa pra lá nada.

- Mike, deixa senão eu nunca mais falo com você! Pode parecer algo infantil mas eu sei que pra você isso ia doer.

- Ia.

- Então, agora eu não quero namorar por um bom tempo.

- Uma menina consegue machucar um homem com oito palavras. Você tem uma capacidade incrível, bate aqui. -ele estendeu a mão.

- Desculpa. -bati e abaixamos as mãos- É que...

- Não é todo mundo que vai te magoar.

- Você me magoou também.

- Eu sei, desculpa mas... -ele fez uma pausa de um segundo- eu não consigo olhar pra você.

- Meu rosto tá... -eu disse passando a mão delicadamente.

- Eu olho e o ódio por ele vai crescendo.

- Não precisa olhar. Bom, eu vou embora e outro dia a gente se fala, então...

- Não.

- Não dá pra me deixar completar uma fr...?

- Não.

- Eu odeio você. -eu ri e ele riu também- Ai. -coloquei o dedo ao lado da boca, onde também doía.

- Vamos ficar dentro do carro?

- Tá. Não passa ninguém aqui? Certeza?

- Absoluta, se você soubesse o tanto de acidentes que já aconteceram, ninguém tem coragem.

- MIKE!

- Calma. -ele riu- É só ali na curva, tá mais pra frente.

Entrei no meu carro e ele também. Ficamos no banco de trás, ele deitou e eu ao seu lado. Passou o braço em minha volta.

- Nunca pensei que seria tão bom não ter que olhar pro seu rosto.

- Nunca pensei que seria tão ruim alguém passar o braço em minha volta na intenção de me proteger.

- Que? -ele logo levantou o braço.

Abri o zíper da blusa e abaixei a manga. Havia uma marca de dedos no meu braço de quando Cody me apertou até meu sangue parar de circular!

- E o outro braço? -Mike perguntou com raiva.

- Também, mas...

- E as suas costas? A barriga e, as pernas...

- Também, mas falando assim eu já tô pensando besteira, não vou te mostrar.

- Tá. -ele disse seco. Voltou a me abraçar sem me machucar e então fechei os olhos.

- Você não vai mais voltar com ele.

- Você não manda em mim.

- Você não vai. -ele disse firme- Toda vez que eu te vi e agora também eu tenho vontade de te fazer pior do que fez comigo. Vontade de falar "se você não for minha, não vai ser de mais ninguém". Mas eu não tenho coragem.

- Como adolescente eu deveria achar a última parte até bonitinha.

- Mas você não tem cabeça de adolescente que eu sei. As vezes você finge que tem, tipo agora, por que você tá aqui comigo?

- Alguns diriam que é loucura.

- Então. 

- Mas eu gosto de ficar com você. Eu tenho mais paz do que dentro de casa. 

- E é só do seu lado que eu tenho paz, nem de cigarro eu preciso. 

- Ai o negócio é forte. -dei risada e ele também. 

Minha barriga começou a doer do lado direito, acho que foi por causa...

- Pois é e eu tô falando a verdade, não é só pra...

- Eu voltar a gostar de você. 

- Voltar? 

- Eu já disse que em algum momento eu gostei. Mas nem me fale em gostar.

- Por que? 

- Eu lembro do Cody. 

- Você faz pra provocar, não é?

- Não, é que...que sei lá. 

- Faz.

- Não faço. 

- Faz.

- Não faço, eu não quero saber dele, por mim eu até mudaria de escola. E não só por causa dele, aquilo tá um caos.

- Caos? Além do Cody e do prof...

- NÃO FALA DELE!

- Desculpa, desculpa. -ele me abraçou mais forte. 

Sentei no banco para contar, ele fez o mesmo. Fiquei de perna de índio de frente para ele.

- Sabe o Lucas? -perguntei. 

- Não! Não sei!

- Se você vai ser grosso comigo pode pegar e sair agora! -eu disse no mesmo tom de voz que ele.

- Fala. Só lembrando que eu não quero ouvir.

- Não é possível que você tenha tanta raiva dele à ponto de querer matá-lo.

- Tenho.

- Mas agora você não pode.

- Ah, é? Dá um bom motivo. Eu ainda não encontrei com ele porque... -interrompi:

- O motivo é que ele vai ter um filho.

Ele apenas arregalou os olhos e mudou completamente de expressão.


- A Abby e ele ficaram por aí enquanto os dois estavam bêbados, drogados, sei lá, eu não entendi direito e agora ela tá grávida. 

- Não ia demorar pra essa aí ficar grávida. 

Coloquei a mão na barriga onde doía.

- Eu sei. Ai, -coloquei as mãos no cabelo- eu não sei quando e nem onde essa história vai acabar.

- O certo seria: os seus amigos, junto com Cody e Abby voltarem pra Austrália, Lucas voltar pro reformatório da Inglaterra, você e sua família pro Brasil e eu na cadeia mesmo. Mas agora eu quero ver você fazer tudo isso, é complicado.

- Você tem razão. -abaixei a cabeça- E eu odeio isso. -soltei um sorriso, eu não queria.

- E por que você tá com a mão aí? Só queria saber porque parece que está incomodada.

- Eu não sei, o osso que tem aqui tá doendo, sei lá. 

Mike pegou o celular do bolso, acendeu a lanterna e apontou pra mim. Foi um convite para que eu levantasse a blusa.

- Deixa, já já passa.

- Vou contar até três senão eu vou tirar isso aí. -ele disse com milésimas intenções. 

Levantei a blusa e olhei. Estava vermelho, roxo, sei lá. 

- Me fala onde o Simpson tá. 

- Não foi ele, eu devo ter...

- Batido em algum lugar?! Acho que não, ME FALA AGORA!

- Eu não sei.

- Na casa dele?!

- Para de gritar, a gente tá no meio do nada...

- E SÓ VOCÊ TÁ OUVINDO PORQUE EU TÔ GRITANDO COM VOCÊ! VAI DEFENDER ELE ATÉ QUANDO? ATÉ ELE TE MATAR?!?!?!

- DO JEITO QUE EU TÔ VENDO QUE VOCÊ SE REVOLTA RÁPIDO, ACHO QUE VOCÊ É QUEM VAI MATAR PRIMEIRO! -eu dei esses berros e minha barriga doeu mais, segurei o choro e abaixei a cabeça compartilhando a dor comigo mesma.

- Dessa vez é você que tá com a razão. -disse Mike mudando o tom de voz. 

Levantei a cabeça esperando que o que tinha visto com a visão periférica fosse coisa da minha cabeça. Mas não era. Lá estava ele apontando a arma pra mim.

CONTINUA? O QUE ESTÃO ACHANDO? ME PEDIRAM EM OUTRO CAPÍTULO PRA POSTAR UMA FOTO DO JOSH MAS EU NÃO TENHO QUASE NENHUMA, TENHO ESSA QUE AS VEZES COLOCO NO PAPEL DE PAREDE DO CELULAR:
MAS ACHO QUE NO INSTA DA MÃE DA (@debwinno) TEM MAIS FOTOS E NO DELE (@joshwinno) TAMBÉM TEM SÓ QUE MENOS PORQUE ELE POSTA MAIS FOTOS DO MAR E ESSAS COISAS. ESPERO TER AJUDADO, BEIJOS.


Sunday, 14 September 2014 @ postado Sunday, September 14, 2014